6 de out de 2014

Nª Sª DA CONCEIÇÃO APARECIDA


Introdução:

                   Em 1773, nas águas do Rio Paraíba, "apareceu", isto é, foi achada por alguns pescadores, uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, que se tornou objeto de crescente devoção do povo brasileiro. O apelido popular dado à imagem é "Nossa Senhora Aparecida". Em seu santuário, na cidade de Aparecida do Norte (Estado de São Paulo), vêem-se aos milhares os testemunhos de sua proteção celestial sobre os filhos da nação brasileira: inúmeros ex-votos ali estão a recordar os benefícios obtidos com a invocação da Mãe de Deus sob o título de "Nossa Senhora Aparecida". Com toda a razão foi ela proclamada Padroeira e Rainha do Brasil.

 I Leitura: Est 5, 1b-2; 7, 2b-3 – Vida para o meu povo.

Ester, sendo judia e sabendo da trama do primeiro ministro contra os judeus e queria seu extermínio, intercede m favor de seu povo e alcança as boas graças do rei. É figura de Maria, enquanto intercede pela salvação do povo.

II Leitura: Ap 12, 1.5.13a.5-6a – Vencer o dragão de ontem e de hoje

A mulher adornada simboliza o povo de Deus: o antigo povo da aliança e o novo povo, a Igreja. Ambos são perseguidos pelo dragão do mal. O menino se dúvida é o Messias. Tradicionalmente se aplica esta figura da mulher à Maria, que, como diz o Vaticano II, é Mãe e modelo da Igreja. Ela vence o dragão, que não tem domínio sobre ela.

Evangelho: Jo 2, 1-11 – Mulher e Mãe

O texto das bodas de Caná apresenta a intercessão de Maria junto a Jesus. O título de “mulher” remete ao Calvário, onde estará de pé, no momento da redenção da humanidade. Como Mãe tem a preocupação dos que não têm mais vinho. Como mulher tem o olhar atento para as pequenas coisas... Está presente na hora da salvação e nesta hora torna-se também mãe da humanidade. Maria é Mãe e modelo para a Igreja.
Reflexão.

1. Enfrentamos os desafios para conquistar vida para o povo?

2. Maria nos ajuda a vencer os dragões de hoje?

3. Que tipo de devoção temos para com Nossa Senhora?

Dinâmica:

a)     Entrar com uma imagem de Nossa Senhora Aparecida.

b)    Encenar as Bodas de Caná.

c)     Lembrar que hoje é o dia das crianças...

 

2 de out de 2014

27º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 
Introdução:
“Quem está de pé cuide para não cair” (1 Cor 10,12). Nós somos os continuadores do Povo da Promessa. Recebemos como herança a riqueza do Projeto do Reino. Devemos cuidar da vinha, não assumir a postura do povo que tinha por obrigação levar adiante a promessa. Rejeitaram a Aliança, não aceitaram os profetas, mataram o Messias. Corremos o mesmo risco, se não tomarmos os cuidados devidos: São Paulo nos orienta como fazer – viver a retidão das promessas e ter a certeza de que Deus está conosco. Temos agora um compromisso: levar a diante o Projeto do Reino, para quando o Senhor vier possa nos encontrar vigilantes, no trabalho da expansão do Reino, para que este não nos seja tirado e dado a outros.
I Leitura: Is 5, 1-7 –Responsabilidade nossa.
Deus deposita confiança em seu povo. Esperava dele o direto e produziram injustiça. Esperava justiça e o povo oprimido está desesperado... A parábola da vinha lembra o esposo carinhoso que cuida de tudo para o casamento, mas lembra também o juízo de Deus. Diante de nós está a escolha: podemos ser cuidadosos para com a obra que o Senhor deixa em nossas mãos, ou produzir obras que não estão em sintonia com o projeto. A responsabilidade é nossa!
II Leitura: Fl 4, 6-9 – Dar testemunho.
Paulo termina sua carta aos Filipenses com diversas recomendações: viver a oração, ter atitudes retas, dando testemunho, levar adiante seus ensinamentos... Quem assumir este modo de viver estará em sintonia com a proposta do apóstolo. Tudo isto exige uma mudança de comportamento: Paulo insiste na alegria de ser cristão. Vale a pena levar adiante o projeto!
Evangelho: Mt 21, 33-43 – Novo povo.
A parábola da vinha é um alerta sério para todos nós. Dirigindo-se diretamente á elite religiosa e política (fariseus, sacerdotes, anciãos, escribas...) de seu tempo, que se julgava santa e salva, Jesus investe duramente contra eles. Tira-se a vinha deles e a oferece aos desprezados por eles: foi esta gente que acreditou em Jesus. Os outros não: eles o odiaram, invejaram e mataram.
Reflexão.
1. Que cuidados estamos tendo com o Projeto do Reino?
2. Que tipo de frutos estamos produzindo?
3. De que lado estamos? Do lado das elites? Do lado de quem acreditou em Jesus?
Dinâmica:
Durante a leitura do Evangelho, entrar com uma bela cesta de frutas (uvas, maçãs, pêras, laranjas) e depois, no momento do ofertório, colocar perto do altar. No final, distribuir para o povo.